Últimas Notícias
Capa / Artigos / Os efeitos colateriais agudos da Radioterapia
Os efeitos colateriais agudos da Radioterapia

Os efeitos colateriais agudos da Radioterapia

Grande parte dos pacientes com diagnóstico de câncer em algum momento recebe tratamento com radiação ionizante, ou seja, radioterapia. Normalmente na forma de raio X, o mesmo da tomografia e radiografia, mas com uma energia maior e em uma área específica. O tratamento é feito em aplicações diárias na região do tumor (que pode incluir suas drenagens linfáticas ou não) e duram aproximadamente 10 minutos. A radioterapia é essencial para alguns casos, seja com intuito curativo ou para paliação, entretanto não é isenta de efeitos colaterais, que devem ser seguidos de perto pela equipe médica e tratados quando necessário.

A sensibilidade individual ao tratamento tem uma influência importante no que se refere a estes efeitos, entretanto podemos esperar algumas alterações para a maioria dos pacientes como:

Fadiga: Ocorre em até 80% dos pacientes e pode variar de leve cansaço (maioria) até astenia (sensação generalizada de debilidade e falta de vitalidade).

Alterações de pele: Na área tratada normalmente ocorre hiperemia (vermelhidão) local, escurecimento e descamação da pele. Também ocorre queda de cabelo e pêlos na área em que há entrada ou saída do campo de tratamento (caminho por onde passa o Raio X).

Outros efeitos são inerentes ao local de tratamento: Crânio: Além dos efeitos citados pode haver leve cefaleia ou piora da cefaleia existente. Esse efeito colateral não ocorre frequentemente e é passageiro.

Pescoço: Pode haver alteração na saliva, que se torna espessa e escassa. Também ocorre em alguns casos dificuldade para engolir e falar devido a inflamação da mucosa. Tórax: Nota-se em alguns pacientes dor para engolir e alterações de pele. Leve dor na área tratada (mama por exemplo).

Abdome e Pelve: A bexiga pode apresentar alterações agudas levando a dor e urgência para urinar. O trato gastro-intestinal apresenta alterações agudas que podem levar o paciente a ter diarréia, náuseas e vômitos. Quando estes sintomas ocorrem o médico deve ser avisado para avaliar sua intensidade definir uma conduta adequada.

Atenção especial aos idosos que podem desidratar rapidamente e devem ser monitorados e hidratados adequadamente. Estes efeitos colaterais são toleráveis para a maioria das pessoas e caso se expressem com maior intensidade podem ser manejados pela equipe médica com orientações e medicamentos. Por isso sempre converse com a equipe responsável e não leve nenhuma dúvida para casa!

870 Visualizações 1 Visualizações Hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*